Inteligência espiritual: a expansão da consciência

junho 9, 2019 Por Ana Carvalho 0

No início do século XX, o QI era a medida definitiva da inteligência humana, separando os que tinham maior capacidade cognitiva por essa métrica dos demais. Foi só na metade da década de 1990 que a descoberta da Inteligência Emocional (QE) mostrou que não bastava o sujeito ser um gênio se não soubesse lidar com as emoções.

Segundo o pesquisador Daniel Goleman, Inteligência Emocional refere-se à capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos.

Pessoas com falta de significado para a vida

A ciência começa o novo milênio com descobertas que apontam para um terceiro quociente, o da Inteligência Espiritual.

A fí­sica e filósofa americana Danah Zohar, autora do livro Inteligência Espiritual, defende a existência de um terceiro tipo de inteligência capaz de aumentar o nível de consciência das pessoas, tornando-as mais criativas.

Nascida nos Estados Unidos e com 57 anos, Danah vive na Inglaterra, onde leciona na Universidade de Oxford. Formada em Física pela Universidade de Harvard, com pós-graduação no Massachusetts Institute of Tecnology (MIT), ela sabe muito bem do que está falando.

E tem provas científicas para quem torce o nariz para a importância da espiritualidade. A inteligência espiritual se manifesta em sua necessidade de encontrar um significado para a vida. Não é à toa que estamos vivendo a era da busca por propósito, por expandir nossa consciência além do aqui e agora.

No seu livro, Danah aponta que somos impulsionados por um anseio humano, de buscar e encontrar sentido para o que experimentamos e vivemos.

Ansiamos por algo pelo qual possamos aspirar, por algo que nos leve além de nós mesmos e do momento presente, por alguma coisa que nos dê – e dê aos nossos atos – um senso de valor. Inteligência Emocional não tem relação com religião as pessoas atingiram um nível de excelência na conquista de bens materiais, mas riqueza de dinheiro não significa riqueza de alma.

Mesmo diante da prosperidade material, as pessoas relatam um vazio existencial e que não tem relação com sua formação religiosa. A Inteligência Espiritual não mantém relação necessária com a religião.

Ser religioso não garante QS elevado

Ser religioso, no entanto, não garante um elevado QS. Segundo Danah, o QS é uma capacidade interna, do cérebro e da psique humana, de extrair os recursos mais profundos do próprio âmago do Universo.

Diante de toda minha vivência com as Terapias Integrativas, ouso dizer que são elas o ponto de contato do ser humano para atingir a Inteligência Espiritual.

Ana Carvalho

É uma força que está na natureza, está no inconsciente, está na rotação da Terra ao redor da lua, está nas marés e está dentro de nós. Se somos uma centelha divina, ela está aí para usufruirmos.

O que é Inteligência Espiritual

O assunto vai ganhar cada vez mais atenção, já que vivemos numa era de falta de propósito e signficado interior. Danah afirma que “a Inteligência Espiritual coletiva é baixa na sociedade moderna. Vivemos numa cultura espiritualmente estúpida, mas podemos agir para elevar nosso quociente espiritual”.

A Inteligência Espiritual é uma terceira inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos.

Ter alto quociente espiritual (SQ) implica ser capaz de usar o espiritual para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequado senso de finalidade e direção pessoal.

O SQ aumenta nossos horizontes e nos torna mais criativos. É uma inteligência que nos impulsiona. É com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor.

O SQ está ligado à necessidade humana de ter propósito na vida. É ele que usamos para desenvolver valores éticos e crenças que vão nortear nossas ações.

Pesquisas científicas comprovam a existência da Inteligência Espiritual

Os cientistas descobriram que temos um “Ponto de Deus” no cérebro, uma área nos lobos temporais que nos faz buscar um significado e valores para nossas vidas.

É uma área ligada à experiência espiritual. Tudo que influencia a inteligência passa pelo cérebro e seus prolongamentos neurais. Um tipo de organização neural permite ao homem realizar um pensamento racional, lógico. Dá a ele seu QI, ou Inteligência Intelectual.

Outro tipo permite realizar o pensamento associativo, afetado por hábitos, reconhecedor de padrões, emotivo. É o responsável pelo QE, ou Inteligência Emocional. Um terceiro tipo permite o pensamento criativo, capaz de insights, formulador e revogador de regras.

É o pensamento com que se formulam e se transformam os tipos anteriores de pensamento. Esse tipo lhe dá o SQ, ou Inteligência Espiritual.

Qual a diferença entre Inteligência Emocional e Inteligência Espiritual

É o poder transformador.  A Inteligência Emocional me permite julgar em que situação eu me encontro, e me comportar apropriadamente dentro dos limites da situação.

A Inteligência Espiritual me permite perguntar se quero estar nessa situação particular. Implica trabalhar com os limites da situação. Daniel Goleman, o teórico da Inteligência Emocional, fala das emoções, enquanto a Inteligência Espiritual fala da Alma.

O Quociente Espiritual tem a ver com o que algo significa para mim, e não apenas como as coisas afetam minha emoção e como eu reajo a isso.

Como ser espiritualmente inteligente

Dana Zohar identificou dez qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes:

1. Praticam e estimulam o autoconhecimento de forma profunda

2. São levadas por valores, por propósito e são idealistas

3. Têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade

4. São holísticas

5. Celebram a diversidade

6. Têm independência

7. Perguntam sempre “por quê?”

8. Têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo

9. Têm espontaneidade

10. Têm compaixão