Terapias integrativas ajudam a combater burnout

junho 1, 2019 Por Ana Carvalho 0

Na vida estamos sempre desejando algo que cada um denomina como sucesso, que pode ser diferente para mim ou para você.

O fato é que a síndrome de burnout acomete justamente pessoas que têm o desejo de serem melhores (aos olhos de quem?) e querem demonstrar alto grau de desempenho.

Quando o trabalho vira doença?

A pergunta que fica: essa busca incessante pelo sucesso, prestígio, status, aprovação social dos outros, dinheiro pelo dinheiro, tem levado às pessoas a que lugar?

Pelo que a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou é para o esgotamento completo do ser humano, já que a síndrome vai aparecer na próxima Classificação Internacional de Doenças (CID-11) em 2022.

O problema estaria associado ao esgotamento do emprego, mas muitas vezes se confunde com a depressão ou a ansiedade, uma vez que os sintomas são muito parecidos.

O que é burnout?

O burnout é um completo esgotamento físico, mental e emocional relacionado ao trabalho. Se fôssemos comparar a um carro, ele não teria combustível, suas rodas murchariam, seus sistemas internos no painel acusariam pane total e o GPS falharia totalmente.

O que diferencia o burnout é que as queixas são relacionadas ao trabalho. Mas será mesmo? No fundo, o descontentamento com o trabalho, ou seja, com algo exterior, é sempre uma fuga para que não se olhe para dentro.

Aliás, se a busca por sucesso e status parece desafiadora, a busca pelo autoconhecimento é para os corajosos.

Se antes do autoconhecimento podíamos alegar ignorância, depois de tomarmos consciência do porquê das nossas angústias e aflições, o jeito é sair do vitimismo e partir para a ação, para a mudança, a transformação.

Terapias Integrativas para se prevenir do burnout

É aí que entram os benefícios das terapias integrativas como antídoto para o burnout e outras doenças do milênio, todas elas de fundo emocional.

Está com dor de garganta e toma um remédio para calar a boca do corpo? Talvez você esteja ignorando que seu chakra laringeo esteja em desequilíbrio devido ao acúmulo de anos engolindo sapo do chefe, do cônjuge e de outras pessoas.

Nesses casos, experimente os benefícios do reiki para sua saúde física, mental e emocional. Não sabe qual o motivo da falta de sentido na vida? Que tal experimentar os benefícios do TOQ ou Microfisioterapia?

Trazemos no corpo as marcas de todas as nossas experiências à semelhança de cicatrizes sutis, intangíveis. Mas nem por isso ausentes.

Resolver essas questões demanda muita coragem para dar o salto para a mudança. Ou então ficar lambendo a ferida o resto da vida. Você que escolhe.

Genes de 7 gerações influenciam quem somos

E, se o assunto é conflito familiar, a Constelação Familiar Sistêmica pode te ajudar a compreender a dinâmica desse emaranhamento. Afinal, trazemos nos nossos genes o resultado de sete gerações, o que significa algo em torno de 1024 ancestrais que continuam tendo influência sobre quem somos.

Isso quer dizer que, nas nossas veias, ainda corre muitas situações como guerra, fome, escassez, sentimento de não merecimento e que podem estar nos afetando no dia a dia.

Meditação para sair da arapuca feita pela nossa mente

Outra terapia integrativa que pode ajudar a combater a síndrome de burnout é a meditação. São várias as técnicas, mas eu recomendo a Meditação Vipassana, experiência que já vivi por três vezes e em cada ocasião trabalhei uma situação diferente da minha vida.

Na primeira, o mergulho foi intenso nas sensações corpo-mente. O corpo reflete o que a mente nos sugestiona e, como marionetes, executamos com maestria. Se a mente diz: coce a orelha agora, a gente obedece cegamente.

A meditação Vipassana vem justamente quebrar esse ciclo vicioso da interação corpo-mente e da reação às situações. Pode notar: estamos sempre reagindo a situações ruins e desejando as boas. É aí que residem as nossas angústias, que se manifestam pelo esgotamento total como o burnout.

Ao nos darmos conta, pela consciência, desse mecanismo, temos chance de sair da arapuca preparada pela mente. Não mais aversão, não mais apego.

Apenas consciência do momento presente e de que tudo passa (anicca, anicca, anicca – para quem já passou pelo retiro!). Aliás, conto num artigo uma passagem muito engraçada sobre a consciência sobre o meu processo de vitimização que pode servir de ilustração sobre como nos colocamos no papel de vítimas, de pessoas esperando pelo acolhimento do outro.

Busque ajuda dos profissionais que enxergam o ser humano integral

É isso que as terapias integrativas proporcionam: um realinhamento com sua essência, com o seu interior.

Agora vai de você tomar uma atitude em primeiro lugar e escolher o profissional mais adequado para o seu tipo de situação.

Aqui no site você encontra terapeutas integrativos recomendados para que as pessoas possam ser mais felizes e prósperas.